Política

Tucano barra segunda denúncia contra Temer

Com ataques à Justiça e PGR, Bonifácio Andrada rejeita 2ª denúncia. Supremo rejeita acusação contra Renan na Lava Jato. Medida provisória para investigar bancos corre risco no Congresso. Venda de imóvel cresce 20,8% em São Paulo etc

<b>Reprodução</b> Tucano apoia Temer
Reprodução Tucano apoia Temer
Por Folha de S. Paulo - O Estado de S. Paulo - O Globo
Publicado em 11/10/2017

Bonifácio de Andrada vota por barrar investigação contra Temer e também critica a Polícia Federal.

Relator na Câmara da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil), o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) recomendou a rejeição da acusação formal da Procuradoria-Geral da República. Em parecer curto e previsível apresentado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Bonifácio criticou o Judiciário e atacou o Ministério Público Federal e a Polícia Federal. Com o parecer favorável, os governistas acreditam ter entre 38 e 44 votos dos 66 membros da CCJ, incluindo deputados de PSB e PSDB. No documento, o relator rechaçou a acusação de obstrução da Justiça e disse não haver provas que sustentassem a tese de organização criminosa. Segundo O Estado de S. Paulo, Bonifácio também considerou que Temer não poderia ser processado por atos supostamente cometidos antes de assumir o mandato, em maio do ano passado.
Relator defende barrar a 2a. denúncia contra Temer

Deputado tucano Bonifácio de Andrada critica Procuradoria, PF e Judiciário. O deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) apresentou na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara relatório em que recomenda à Casa barrar denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Em seu texto, Andrada faz críticas à Procuradoria-Geral da República, à Polícia Federal e ao Judiciário. Para ele, a PF atua “à mercê do Ministério Público, compactuada com setores do Judiciário” e “chega ao ponto de fiscalizar a Presidência da República e ministros”.

Segundo o relator, na Folha de S. Paulo, as acusações feitas pelo então procurador-geral Rodrigo Janot contra Temer — chefiar organização criminosa e obstruir a Justiça — são vagas. O peemedebista já havia sido denunciado antes por Janot, por corrupção, em processo que parou na Câmara.

A CCJ é o primeiro passo na tramitação na Casa — a votação do relatório de Andrada está marcada para a próxima semana. Depois, o plenário fará a análise. É preciso o apoio de ao menos 342 dos 513 deputados para que a denúncia seja encaminhada ao Supremo.

Relator vota pela rejeição da denúncia contra Temer

Deputado tucano critica Justiça, MP e PF. Bonifácio de Andrada diz que instituições estão ‘mancomunadas’ e que acusações são improcedentes. Em seu voto na CCJ da Câmara sobre a denúncia contra o presidente Temer por obstrução de Justiça e organização criminosa, o relator Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) pediu o arquivamento do caso e fez duras críticas ao Judiciário, ao Ministério Público e à PF. O tucano também isentou os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco. O relatório deve ser votado na comissão semana que vem, escreve O Globo. Na hora da leitura do relatório, Temer se reunia com a bancada ruralista.

Supremo rejeita acusação contra Renan na Lava Jato

A 2a Turma do STF rejeitou denúncia da Procuradoria contra Renan Calheiros (PMDB). Ele foi denunciado em 2016, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro. Para o relator, Edson Fachin, a peça “sucumbe diante da fragilidade” das informações apresentadas, segundo a Folha de S. Paulo.Tucano barra nova denúncia contra Temer

Irmãos Batista são denunciados

Wesley e Joesley Batista, da JBS, foram denunciados pelo MP por uso de informação privilegiada e manipulação de mercado, informa O Globo.
CVM acusa 40 pessoas por irregularidades na Petrobrás

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador do mercado de capitais, acusa um grupo de 40 administradores e ex-administradores da Petrobrás de irregularidades contábeis, segundo O Estado de S. Paulo. A lista contém os nomes dos ex-presidentes Aldemir Bendine, Graça Foster e José Sérgio Gabrielli.
Agentes ofendem chineses durante operação em SP

Funcionários a serviço da Receita xingaram chineses durante ação na rua 25 de Março, no centro, mostra vídeo gravado em setembro. Um dos agentes diz ainda que eles tomam trabalho de brasileiros, escreve a Folha de S. Paulo. A Receita afirma que investigará.
Fazenda quer MP para elevar alíquotas do PIS e da Cofins

A equipe econômica prepara medida provisória para elevar a cobrança de PIS/Cofins, escreve a Folha de S. Paulo. A ação, que aumentaria de 9,25°/o para em tomo de 10% a alíquota somada, visa a compensar as perdas de arrecadação com decisão do STF que excluiu o ICMS da base de cálculo desses tributos. O objetivo é igualar as receitas previstas antes do julgamento, que ocorreu em março. A proposta será enviada à Casa Civil.
segundo O Globo.
Venda de imóvel cresce 20,8% em São Paulo, diz Secovi

A venda de imóveis cresceu 20,8% na capital no acumulado de janeiro a agosto ante o mesmo período de 2016. Foram comercializadas 10.991 unidades, segundo Pesquisa do Mercado Imobiliário, do Secovi- SP, que será divulgada hoje. O Estado de S. Paulo escreve que os apartamentos de um quarto são destaque nos negócios.

Medida provisória para investigar bancos corre risco no Congresso

Um atrito político na Câmara dos Deputados e um erro cometido no Senado colocaram em risco uma medida provisória que o governo federal editou em junho com o objetivo de ampliar seus poderes para investigar bancos e outras instituições financeiras, escrevem Ricardo Balthazar e Daniel Carvalho (Folha de S. Paulo).

Com o feriado desta semana e o esvaziamento do Congresso a partir desta quarta (11), o governo terá poucos dias para salvar a medida provisória, que perderá a validade na próxima semana se não for aprovada pela Câmara e pelo Senado até quinta (19).

A medida provisória dá ao Banco Central e à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) um instrumento poderoso para coibir fraudes no mercado financeiro, permitindo que negociem com banqueiros e outros agentes acordos de leniência semelhantes aos que o Ministério Público Federal negociou com empresas como a Odebrecht e a J&F.

Os acordos previstos pela medida provisória permitiriam que bancos, corretoras e outras empresas investigadas fornecessem informações sobre irregularidades em troca da redução de penas previstas no âmbito administrativo por normas do BC e da CVM.

Uma comissão especial criada pelo Congresso para analisar a medida provisória aprovou várias mudanças na proposta original do governo na semana passada e encaminhou a versão para votação no plenário da Câmara.

Nesta terça (10), após receber um apelo do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prometeu empenho para acelerar a votação da medida, mas aliados do presidente Michel Temer (PMDB) esvaziaram o plenário, porque a prioridade deles era garantir a leitura do relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) sobre a nova denúncia criminal apresentada contra o presidente Temer.

O governo tentará colocar a medida provisória em pauta novamente na segunda (16), mas o atrito com os aliados de Temer irritou Maia, que ameaça não convocar a sessão. Depois da Câmara, a medida precisará ser aprovada pelo Senado para virar lei. (...)
Recordista de firmas ‘zumbis

Do 1,8 milhão de empresas do Estado do Rio, 34% são consideradas “zumbis”, o maior percentual do país, informa Danielle Nogueira. São firmas que estão inativas, não recolhem impostos nem contratam, mas não fecham por causa da burocracia.
‘Tenho 75 anos de banco. Renovação é inevitável’

Lázaro de Mello Brandão começou a trabalhar na Casa Bancária aos 16 anos de idade, recorda O Estado de S. Paulo. Dois anos depois, ela viraria Bradesco. Ontem, aos 91, ele entregou sua carta de demissão. Em entrevista a Sonia Racy, Brandão afirma que “faria tudo igual” e que renovação é “inevitável”: “Eu sou o segundo presidente do Conselho. Então...”. Sobre o País, o executivo diz acreditar na recuperação da economia, classifica Fernando Henrique como o melhor presidente e afirma que o Plano Cruzado foi o que deu a maior dor de cabeça aos bancos.

Mulher de Nem da Rocinha é presa

Condenada a 28 anos e foragida desde 2016, ela foi encontrada na Ilha do Governador.

Expulsa da Rocinha por quadrilha rival, Danúbia Rangel, mulher do traficante Nem, foi presa ontem na Ilha do Governador. Condenada por tráfico, ela estava foragida desde o ano passado. Por causa dos tiroteios, as Forças Armadas voltaram à comunidade. O Globo reporta que cerca de 150 mototaxistas tentaram fechar a Lagoa-Barra e foram detidos porque, segundo a polícia, ato fora ordenado por criminosos. Zuenir Ventura escreve que deixar o Rio não é a solução. "Estou entre os que não deixariam de jeito nenhum o Rio", escreve Ruy Castro, na Folha de S. Paulo. "O Datafolha diz que 72% dos moradores do Rio querem ir embora por causa da violência. Como me coloco entre os que não sairiam de jeito nenhum, terei de me contentar com o que resta dele."

Faltam recursos para Criança Feliz

Apadrinhado pela primeira-dama, Marcela Temer, o Criança Feliz está paralisado, por falta de verbas, em 1/3 dos municípios inscritos, informa Renata Mariz (O Globo).
Censura é descartada

Ministro diz que projetos da Lei Rouanet serão vistos com isenção,

Morte de jovens no país tem maior taxa desde 2005, segundo o Unicef, escreve a Folha de S. Paulo.