Opinião

"Os tapas de Lula na cara da sociedade"

"Se Lula tivesse apenas visitado o tríplex com Léo Pinheiro, com a perspectiva de usufruí-lo, já seria um tapa na cara da sociedade por três motivos". Saiba quais.

<b>Reprodução</b> Lula visita imóvel com Léo Pinheiro (de costas)
Reprodução Lula visita imóvel com Léo Pinheiro (de costas)
Por Felipe Moura Brasil - O Antagonista
Publicado em 18/05/2017

 

Lula aparece com Léo Pinheiro em fotos no tríplex do Guarujá e no sítio de Atibaia – aparentemente, nesta última, imitando Carmen Miranda.

Se Lula tivesse apenas visitado o tríplex com Léo Pinheiro, com a perspectiva de usufruí-lo, já seria um tapa na cara da sociedade por três motivos básicos:

1) Léo Pinheiro é ex-presidente da empreiteira baiana OAS, que tinha contrato público com a Petrobras no governo do PT.

2) A OAS integrava o cartel que fraudava licitações da maior estatal brasileira e pagava propina a agentes públicos e políticos, inclusive ao próprio PT.

3) Léo Pinheiro não é um simples corretor de imóveis querendo convencer um cliente a comprar um apartamento, como Lula tentou retratá-lo ao ser interrogado pelo juiz Sérgio Moro, mas, sim, o ex-presidente da empreiteira, o que também indica privilégio de Lula no tratamento recebido.

Se Lula tivesse apenas se reunido com Léo Pinheiro no sítio para tratar de reforma no imóvel, já seria, também, um tapa na cara da sociedade por todos os motivos anteriores.

Se Lula tivesse apenas discutido com Léo Pinheiro e o arquiteto da OAS Paulo Gordilho, em seu apartamento em São Bernardo do Campo, a cozinha do sítio de Atibaia, como Lula admitiu no interrogatório, já seria... o mesmo.

O Antagonista, no entanto, repete: João Vaccari Neto, ex-tesoureiro preso do PT, disse a Léo Pinheiro que o tríplex e a reforma no sítio poderiam ser debitados da propina que a OAS pagava ao partido, segundo o empreiteiro.

“Usei valores de pagamento de propinas para poder fazer encontro de contas”, contou Léo Pinheiro. “Em vez de pagar X, paguei X menos despesas que entraram no encontro de contas. Só isso. Houve apenas o não pagamento do que era devido de propina.”

De quebra, a cozinha do sítio é da mesma marca da do tríplex, como revelou O Antagonista, e ambas foram compradas pela OAS, o que praticamente caracteriza a aceitação de favores indevidos de uma fornecedora do Estado.

“Bebemos eu e ele uma garrafa de cachaça da boa Havana mineira e umas 15 cervejas”, relatou ainda Paulo Gordilho em mensagem sobre outro encontro em Atibaia, registrado em foto na qual Lula aparece tomando pinga.

Mensagens, aliás, sobre os dois centros de custos que seriam criados na OAS para “sítio” e “praia” trazem referência a Lula como “Zeca Pagodinho”.

O tapa na cara da sociedade não podia ser mais completo: Lula Pagodinho Miranda bebeu do petrolão e revelou ao mundo o que é que a baiana tem.